Mais uma pesquisa recente atesta que nossa mentalidade não mudou tanto assim: um em cada quatro brasileiros abriria mão de 10% do salário em troca de estabilidade.

A consultoria Randstad, responsável pela pesquisa, também concluiu que as multinacionais voltaram a ser a empresas mais desejadas pelos jovens de 18 a 24 anos. 

Em outras palavras, nossos jovens querem emprego seguro, benefícios e “gestão robusta” (seja lá o que isso for) em um mundo que caminha para a direção oposta a passos cada vez mais largos.

No século 21, seguimos parecidos com o Brasil colonial.

Ler isso, me traz 3 pensamentos:

– Jamais seremos um país desenvolvido enquanto não virarmos um país de empreendedores. Valorizar o risco e a livre-iniciativa precisa deixar de ser pecado por aqui.

– O país, apesar dos pesares, segue oferecendo um mar de oportunidades para aqueles que tomam risco, nadam contra a maré e pagam o (alto) preço de empreender por aqui.

– O LabFazedores existe para ajudar a mudar esse contexto.

Sigamos!