fbpx

Compartilhe este artigo

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Shunryu Suzuki Roshi, importante mestre da tradição Zen, dizia que “existem milhares de possibilidades na mente do principiante. Já na mente do sabe-tudo, poucas”.

Exercitar a habilidade de olhar para uma situação com mente de principiante, traz ganhos significativos, além de combater um velho mal das organizações que é a síndrome do “sempre foi assim”.

Ainda que seja um problema ou processo conhecido, vale parar e perguntar: e se essa situação estivesse ocorrendo pela primeira vez? Qual é o contexto atual? Existem novos profissionais envolvidos no processo? O orçamento mudou? O que mudou no ambiente externo? O que daria para melhorar ou fazer diferente? Como podemos entregar algo melhor?

Sabe quando você viaja pela primeira vez para um lugar e fica atento a cada novo estímulo? É sobre isso que estou falando. Exercitar essa abordagem de forma habitual, inclusive provocando os demais membros da equipe, expande o campo de investigação e possibilidades.

A prática ajuda a desligar o modo “piloto-automático”.

Mantenha a mente de principiante. Explore as possibilidades.

Conteúdo exclusivo

Assine nossa newsletter

Leia mais

Blog

Hemingway, o velho e o mar

O velho e o mar é a última grande obra de ficção de Ernest Hemingway publicada em vida. Um mergulho em sua escrita concisa, direta e profunda.

Assine o LabFazedores

Seja um membro da nossa comunidade